Imprimir

INTERVIR +


Intervir +

 

 

 1.GENEMACOR

Em 2010 foi apresentado a co-financiamento pelo FEDER no âmbito do Programa Intervir+ o Projecto GENEMACOR que pretende investigar as causas genéticas (polimorfismos) da doença coronária na Ilha da Madeira:

- Prosseguir a investigação das causas genéticas (polimorfismos) da doença coronária na Ilha da Madeira, continuando o projecto iniciado em 2001, podendo adicionar outros polimorfismos que entretanto foram surgindo, com relevância, na literatura mundial (PPAR alfa, APO E, APO B, LCAT, CETP, FGB, NOS3);

- Estudar a interacção de vários polimorfismos entre si e com os factores de risco clássicos (obesidade, fumo, hipercolesterolémia, álcool, sedentarismo, deficit de HDL colesterol etc.), na etiologia da doença coronária;

- Estabelecer algumas bases, na tentativa de compreender se a existência de determinado perfil genético afecta e pode predizer a eficácia dos fármacos nesse perfil, facto este que, a concretizar-se, seria de extrema importância, na medida em que, poderia evitar custos desnecessários com a prescrição de fármacos de efeito terapêutico duvidoso (farmacogenómica), e dessa forma contribuir também para a diminuição dos acidentes cardiovasculares.

Assim, no âmbito do projecto iriam ser adquiridos reagentes bem como um equipamento de Tomografia Axial Computorizada (TAC) e de equipamento para a sala de Hemodinâmica.

O projecto foi aprovado em 2010 tendo sido reprogramado em 2011.

 

 2.    GENHYMAPE

Este projecto visa o estudo da hipertensão arterial, atendendo a que esta constitui um factor de risco, independente da morbilidade e mortalidade cardíaca, renal e cardiovascular. Deste modo, é fundamental conhecer os factores que estão na origem desta epidemia visando o estabelecimento de uma profilaxia mais eficaz.

Visa, deste modo, detectar uma associação entre os polimorfismos dos genes (candidatos à hipertensão arterial) e a existência da hipertensão arterial na Madeira, nomeadamente:

- Estabelecer o perfil genético do risco da doença da hipertensão.

- Avaliar ao fim de um ano a eficácia terapêutica de acordo com o perfil genético da doença visando descobrir um medicamento mais eficaz para um determinado tipo de hipertensão.

 - Aplicar os objectivos acima descritos às outras RUP de forma a partilhar as experiências cientificas, no domínio da genética e da farmacologia, comparando as diferenças genéticas e farmacogenéticas existentes entre as populações com hipertensão das RUP, atendendo às variações étnicas geográficas e ambientais.

No âmbito do projecto está prevista a aquisição de reagentes, bem como de um equipamento SPECT-TC e de uma ressonância magnética.

A comparticipação financeira do FEDER, no âmbito do Intervir+ foi aprovada em 2010, tendo sido reprogramado em 2011.

 

3.   RITS – Reforço da Infra-estrutura Tecnológica da Saúde

O projecto visa o reforço da infraestrutura tecnológica e de serviços que suporta o sistema de informação da saúde na RAM e ainda o estabelecimento de mecanismos de articulação para a criação de plataformas de comunicação inovadoras baseadas nas novas tecnologias de informação e comunicação (TIC), de forma a reduzir custos operacionais e aumentar a qualidade da prestação de serviço, nomeadamente no que se refere à simplificação do acesso e pesquisa de informação pelos utentes do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira, E.P.E.

A comparticipação financeira do FEDER, no âmbito do Intervir+ foi aprovada em 2011.

 

4.   CENTRO DE SIMULAÇÃO CLÍNICA

O projecto visa a implementação um Centro de Simulação Clínica no Hospital Dr. Nélio Mendonça, com a finalidade de proporcionar médicos e enfermeiros bem como aos médicos em formação (Internato Geral e Internato Complementar), uma formação de cariz prático, que permitirá aumentar a qualidade da prestação de cuidados de saúde para os utentes. Neste sentido, o projecto visa:

- O treino de boas práticas através da implementação de um programa atractivo e escalável para os diferentes protagonistas dos cuidados de saúde – com especial destaque para os cuidados críticos de saúde que envolvem formação conjunta no trabalho de equipas complexas e multidisciplinares com vista à obtenção de resultados positivos significativos no outcome dos doentes;

-O reconhecimento Científico pois a simulação Clínica não é uma ciência ou tecnologia, antes uma técnica com fins educativos, formativos e científicos nos cuidados de saúde, merecendo total crédito como modo de acreditação e certificação de competências clínicas e capacidades não técnicas em redes científicas internacionais consolidada;

- A excelência na prestação dos serviços de saúde aos utentes;

- E ainda garantir a auto sustentabilidade, através de equipas próprias o desenvolvimento técnico e científico do Centro, estruturando actividades regulares que mobilizem recursos financeiros da indústria farmacêutica, de fundos nacionais e internacionais de apoio à inovação e I&D e dos formandos que obtêm acções qualificadas de formação contínua.

No âmbito do projecto é prevista a aquisição de manequins, sistema informático e audiovisual, módulos educativos e obras de adaptação.

A comparticipação financeira do FEDER, no âmbito do Intervir+ foi aprovada em 2011.

Clique sobre o mapa.