Skip to main content

Cuidados Paliativos

Equipa

Coordenadora dos Cuidados Paliativos: Dr.ª Licínia Araújo

Enf.ª Gestora: Teresa Espírito Santo

Localização

Hospital Dr. João de Almada

Contactos

Telefone: 291 780 316 / 291 780 300

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

O que são e a quem se destinam?

Entende-se por cuidados paliativos, o "conjunto de cuidados ativos, coordenados e globais, prestados por unidades e equipas específicas, em internamento ou no domicílio, a doentes em situação de sofrimento decorrente de doença incurável ou grave, em fase avançada e progressiva, assim como às suas famílias, com o principal objetivo de promover o seu bem-estar e a sua qualidade de vida, através da prevenção e alívio do sofrimento físico, psicológico, social e espiritual, com base na identificação precoce e do tratamento rigoroso da dor e outros problemas físicos, mas também psicossociais e espirituais".

Lei de Bases dos Cuidados Paliativos n.º 52/2012, de 5 de setembro

Os Cuidados Paliativos são um serviço de acompanhamento, tratamento e supervisão clínica à pessoa com doença incurável.

Os objetivos principais centram-se na prevenção e no alívio do sofrimento do doente e família, para que possam alcançar a melhor qualidade de vida possível. Desenvolvem-se, assim, planos de intervenção específicos para cada situação através de uma abordagem global e interdisciplinar.

As doenças como cancro, doenças neurológicas degenerativas, SIDA, insuficiências de órgão (cardíaca, hepática, respiratória e renal) em estadio avançado e mesmo o envelhecimento natural nas fases mais tardias, quando deixam de ter possibilidade de tratamento com intenção curativa, continuam a necessitar de cuidados de saúde, adequados à fase da doença. Para além da doença, a intervenção nas diferentes necessidades, do doente e da família, visa reduzir o impacto da doença, tendo como foco o conforto e o alívio do sofrimento. Estas intervenções procuram respeitar as vontades e desejos do doente, nomeadamente, entre outros, o local preferencial de morte.

Rede de Cuidados Paliativos

O Decreto Legislativo Regional n.º 35/2012/M, de 12 de novembro, criou a Rede Regional de Cuidados Paliativos (RCP) da Região Autónoma da Madeira (RAM), estabelecendo as normas enquadradoras gerais do seu regime jurídico, de acordo com os princípios e normas estabelecidos pela Lei de Bases dos Cuidados Paliativos, aprovada pela Lei n.º 52/2012, de 5 de setembro.

Os cuidados paliativos (CP) na RAM estão organizados em rede, visando proporcionar, de uma forma adequada e equitativa, acessibilidade a estes cuidados, no domicílio e no hospital, a todos os cidadãos da RAM.

População-alvo

- Pessoas com 18 ou mais anos;
- Portadoras de patologia oncológica e não oncológica;
- Residentes na Região Autónoma da Madeira

Quem somos?

Uma única equipa, um único objetivo.

A equipa da RCP é constituída por assistentes operacionais, assistentes sociais, enfermeiros, farmacêutico, médicos, nutricionista e psicólogos.

Pretende-se com esta abordagem interdisciplinar proporcionar cuidados de saúde técnico-cientificamente rigorosos e humanizados, de acordo com a melhor evidência científica que contribuam para o conforto, dignidade e qualidade de vida dos doentes e seus familiares, em contexto de grande fragilidade física, psicológica, social e espiritual, nesta fase do fim da vida.

Organização

Porque a acessibilidade e a continuidade assistencial são fundamentais no acompanhamento destes doentes e seus familiares, os cuidados paliativos disponibilizam uma resposta nas seguintes tipologias:

  • No domicílio:
    • A Equipa disponibiliza de assistente social, enfermeiro, médico, e psicólogo, de 2ª a 6ª feira, em toda a ilha da Madeira de acordo com as necessidades dos doentes/familiares;
    • Intervém activamente na gestão das necessidades avaliadas, como sejam: controlo de sintomas, apoio social, apoio psicológico e apoio espiritual. Intervém visando o desenvolvimento de competências, capacitando assim o doente e seus familiares para a melhor gestão do processo de doença e inclusive possibilitando a morte no domicílio.
    • Equipa de Apoio Psicossocial – os profissionais desta equipa disponibilizam, ainda, apoio psicossocial, espiritual e acompanhamento no processo de luto em horário alargado: fim-de-semana e feriado das 9h00 às 18h00.
  • No intra-hospitalar (H. Dr. Nélio Mendonça e H. Marmeleiros):
    • Equipa constituída por assistente social (EAPS), médico e psicólogo (EAPS). O médico intervém em regime de consultoria, durante dois dias por semana.
    • Equipa de Apoio Psicossocial – os profissionais desta equipa disponibilizam intervenção nas áreas do apoio psicossocial, espiritual e acompanhamento no processo de luto em horário alargado: todos os dias das 9h00 às 18h00, incluindo fim-de-semana e feriado.
  • Na Unidade de Cuidados Paliativos (UCP):
    • Equipa constituída por assistente operacional, assistente social, enfermeiro, farmacêutico, médico, nutricionista e psicólogo. Sempre que necessário profissionais de outras áreas são chamados a intervir, nomeadamente o apoio espiritual;
    • O internamento da UCP dispõe de 11 camas e está localizado no Hospital Dr. João de Almada;
    • Esta unidade destina-se a doentes com necessidades complexas e que requerem cuidados específicos prestados por profissionais especializados;
    • O internamento é indispensável: ao bom controlo dos sintomas, a uma minuciosa avaliação das necessidades psicossociais, ao planeamento e organização do regresso ao domicílio, em condições de conforto e segurança. Após a alta a continuidade dos cuidados é assegurada pela equipa domiciliária. Este internamento também assegura, se necessário, resposta para os últimos dias/horas de vida, mediante avaliação clínica.

Referenciação

A referenciação aos cuidados paliativos pode ser efectuada através dos seguintes meios:

  • Referenciação electrónica através das aplicações dedicadas para efeito nas Unidades de saúde do SESARAM, EPERAM;
  • Contato telefónico directo para a sede dos cuidados paliativos no Hospital Dr. João de Almada (291 780 300).

Esta referenciação é da responsabilidade do médico assistente hospitalar, do médico de família e das equipas de saúde (cuidados de saúde primários e cuidados hospitalares). Pode igualmente ser feita pelo próprio doente e sua família, de acordo com o definido no nº 3 da Base XX da Lei 52/2012, de 5 de Setembro - Lei de Bases dos Cuidados Paliativos.

A Equipa de Cuidados Paliativos cumpre os critérios que a Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos enumera, nas suas recomendações, para a organização de serviços de Cuidados Paliativos, pelo que é reconhecida pela mesma.

Melhoria Contínua

Sugestões, reclamações e elogios

  • No Hospital Dr. João de Almada, pode apresentar as suas sugestões e/ou reclamações no Livro de Reclamações existente na receção. Sugerimos igualmente que deixe a sua mensagem no Livro disponível na UCP.
  • Existe também a possibilidade dos utentes exporem as suas petições, sugestões, agradecimentos e reclamações no Balcão do Cidadão, localizado Rés-do-chão, junto à receção do Hospital Dr. Nélio Mendonça.
  • Informaticamente no sítio do SESARAM, acedendo ao separador “Cidadão” entrando na área “Balcão do Cidadão” -> “Fale Connosco”

Inquérito de satisfação

A UCP avalia periodicamente os serviços prestados aos doentes e suas famílias, pelo que, no caso de ser utente deste serviço, agradecemos a sua colaboração no preenchimento deste inquérito.
Aceda ao inquérito de satisfação através do seguinte QRCode

 Imagem1

Folheto: Guia de Acolhimento ao Utente e Família

Guia: Longe da Vista...Sempre no meu coração

Outra Informação

Equipa de Apoio Psicossocial (EAPS) – Fundação “la Caixa”

Folheto informativo da EAPS

Sobre a Fundação “la Caixa”

A Fundação ”la Caixa” é uma organização sem fins lucrativos que desde o início do século XX trabalha diariamente para conseguir uma sociedade mais igualitária, combatendo as desigualdades e promovendo o bem-estar da sociedade em geral e, em particular, das comunidades mais desfavorecidas. A Fundação ”la Caixa”, que em 2018 decidiu estender a sua atividade a Portugal, apoia projetos na área social, através de várias iniciativas destinadas a ajudar as pessoas que mais precisam, apoiando também a investigação e difusão da ciência, a educação e a cultura, tão importantes para o progresso da sociedade.

https://fundacaolacaixa.pt/pt/

Programa de Apoio Integral a Pessoas com Doenças Avançadas

O número de pessoas que enfrentam diariamente desafios pessoais e sociais que resultam da situação de fragilidade ou de dependência em que elas próprias ou os familiares se encontram está a aumentar, uma situação que tem vindo a agravar-se devido ao envelhecimento progressivo da população.

Na Fundação ”la Caixa” queremos impulsionar projetos que fomentem a vida independente, a autonomia e a qualidade de vida das pessoas com incapacidade e também daquelas que, por motivo de envelhecimento ou doença, sofrem a deterioração das suas capacidades e da sua saúde.

O Programa, que tem o aval da Organização Mundial de Saúde (OMS), complementa, em Portugal, a atuação do Governo para assegurar o apoio integral a pessoas com doenças avançadas e seus familiares em Portugal.

O Programa:

Oferece apoio integral proporcionando um acompanhamento personalizado emocional, social e espiritual a pessoas com doenças avançadas e às suas famílias, que melhora a sua qualidade de vida.

Sensibiliza a sociedade para que saiba o que os cuidados paliativos são e entenda as especificidades do fim da vida.

Impulsiona novas vias de atuação no âmbito dos cuidados paliativos.

https://fundacaolacaixa.pt/pt/social/apoio-integral-a-pessoas-com-doencas-avancadas/concurso-equipas-de-apoio-psicossocial

EAPS-SESARAM

Conscientes que a RCP não disponha de capacidade para dar resposta, a nível psicossocial, às solicitações dos doentes e familiares/cuidadores, o SESARAM através da equipa da RCP apresentou candidatura, em 2018, ao concurso Equipas de Apoio Psicossocial integrado no Programa de Atenção Integral a Pessoas com Doenças Avançadas da Fundação "la Caixa". Este concurso tinha por objectivo a selecção de diferentes entidades, em Portugal, para constituição de EAPS, financiadas pela Fundação “la Caixa”

A candidatura apresentada pelo SESARAM, EPERAM foi uma das seleccionadas, entre as várias propostas em concurso a nível nacional. Foram, assim, reconhecidas dez candidaturas para passar à fase seguinte, a do processo de constituição de EAPS.

Em Outubro de 2018, o SESARAM, EPERAM apresentou publicamente a EAPS-SESARAM, constituída por dois assistentes sociais e dois psicólogos, integrados na RCP, iniciando intervenção e acompanhamento a doentes paliativos e seus familiares/cuidadores. A atuação desta equipa visa intervir ao nível das necessidades psicossociais, espirituais e garantir igualmente apoio no processo de luto. Contribui para uma melhor adaptação e gestão emocional face à doença, sua evolução e impatos, bem como ao nível da melhoria das condições de vida, no acesso a direitos e respostas sociais face ao contexto de doença e dependência. Esta equipa desenvolve a sua atuação de modo a garantir que esta resposta possa abranger um maior número de doentes e familiares/cuidadores na RAM, enquanto direito humano.

Constituição da EAPS

Diretor Técnico da EAPS – Milton Alves (assistente social da Rede Regional de Cuidados Paliativos)

- Equipa domiciliária: um assistente social e um psicólogo;
- Equipa intra-hospitalar: um assistente social e um psicólogo;
- Intervenção em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas: um psicólogo;

Áreas de Intervenção, população-alvo e Equipas Recetoras

Áreas de Intervenção:

A EAPS, integrada na Rede de Cuidados Paliativos, intervém em várias áreas, desenvolvendo esta atuação em cinco principais eixos:

Apoio psicossocial
Oferece um modelo de apoio psicossocial que tem por objetivo melhorar os cuidados prestados e ajudar os doentes e as suas famílias a enfrentarem a doença.

Apoio espiritual
Integra aspetos espirituais que permitem aos doentes e aos seus familiares enfrentarem serenamente a etapa final da vida, com o respeito pelas crenças e convicções de cada um.

Apoio no luto
Apoio a pessoas envolvidas na perda de um ente querido que o necessitem ou solicitem.

Apoio aos profissionais
Apoio específico aos profissionais de saúde no âmbito da comunicação em situações difíceis e gestão de stresse.

Voluntariado
A participação de voluntários e a sua integração nas equipas complementa o modelo de apoio psicossocial e acrescenta valor humano. Através do acompanhamento, o voluntário responde às necessidades do doente e dos seus familiares.
https://fundacaolacaixa.pt/pt/programas-sociais/apoio-integral-a-pessoas-com-doencas-avancadas/concurso-equipas-de-apoio-psicossocial

População-alvo
- Pessoas com 18 ou mais anos;
- Portadoras de patologia oncológica e não oncológica;
- Residentes nos concelhos - Câmara de Lobos, Funchal, Machico, Ponta do Sol, Ribeira Brava, Santana, Santa Cruz e São Vicente;
- Doentes internados nos Serviços Hospitalares: Cardiologia, Cirurgia Geral, Gastroenterologia, Ginecologia, Hemato-oncologia, Medicina Interna, Nefrologia, Neurocirurgia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Urologia, Unidades de Internamento de Longa Duração (UILD) do Hospital Dr. João de Almada, Santana e São Vicente.

Equipas Recetoras (ER)
São Serviços/Unidades Clínicas do SESARAM, EPERAM, em contexto domiciliário e hospitalar, onde os profissionais da EAPS realizam intervenção. Trata-se de um processo dinâmico, sendo objectivo alargar esta intervenção a todos os serviços, garantindo maior acessibilidade aos doentes e seus familiares/cuidadores.

Equipa domiciliária da RCP – Câmara de Lobos, Funchal, Machico, Ponta do Sol, Ribeira Brava, Santana, Santa Cruz e São Vicente.

Equipa Intra-Hospitalar – Cardiologia, Cirurgia Geral, Gastroenterologia, Ginecologia, Hemato-oncologia, Medicina Interna, Nefrologia, Neurocirurgia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Urologia, Unidades de Internamento de Longa Duração (UILD) do Hospital Dr. João de Almada, Santana e São Vicente.

Horário e Escala de Prevenção
- Segunda a Sexta-feira: 9h às 18h
- Sábado: 9h às 18h (16h às 18h prevenção)
- Domingo e Feriado: 8h às 18h (prevenção)

Contatos
A EAPS tem como sede o Hospital Dr. João de Almada – Sítio da Quinta de Santana - 9050-535 Funchal;
- Telefone: 291 780 300 – Ext. 5008 ou 5022;
- Telemóvel – 969 773 072;
- Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.;

Caso pretenda contatar a EAPS a fim de solicitar acompanhamento para si ou para um familiar/pessoa conhecida ou pretenda esclarecimento de alguma questão, poderá utilizar os contactos aqui apresentados.



Serviço de Saúde da RAM, EPERAM © 2023. Todos os direitos reservados

Linhas de Emergência

SOS - 112

Serviço de Protecção Civil - 291 700 112
Cruz Vermelha - 291 741 115
SANAS - 291 230 112

  • Informação da Urgência - 808 201 414
  • Linha SOS Adolescente - 800 204 125
  • Sexualidade em Linha 808 222 003
  • Linha Vida – SOS Droga -1414
  • Linha do Medicamento - 800 222 444
  • Linha Verde de Medicamentos e Gravidez - 800 202 844
  • Linha SIDA - 800 266 666

Como atuar

Eventos

Contactos Úteis

  • Hospital Dr. Nélio Mendonça: 291 705 600
  • Hospital dos Marmeleiros: 291 705 730
  • Hospital Dr. João de Almada: 291 780 300
  • Farmácia Hospitalar: 
    291 705 613, das 08h30 às 18h00, de 2ª a 6ª
  • Linha de Apoio ao Cidadão: 
    291 705 763 | 961 186 549

    das 9h00 às 17h - de 2ª a 6ª
    das 10h às 13h - Sábado e Tolerância
    balcaocidadao@sesaram.pt
  • Linha de Apoio à Grávida: gravida@sesaram.pt
  • Linha Criança:
    969 319 732, todos os dias - 24 horas
  • Linha Idoso: apoio médico -
    969 320 822, das 09h às 21h | idoso@sesaram.pt
  • Gabinete de Apoio à Família: 
    291705608, das 8h às 24h, todos os dias